quarta-feira, 22 de abril de 2009

Por que Judas em sua epístola faz citações do livro de Enoque?

Foi Enoque, da sétima geração a partir de Adão, quem há muito tempo profetizou isto a respeito deles: “Olhem! O Senhor virá com muitos milhares dos seus anjos para julgar todos. Ele virá a fim de condenar todos os que não querem saber de Deus, por causa de todas as más ações que praticaram e por causa de todas as palavras terríveis que esses pecadores incrédulos disseram contra Deus!” – Jd 14,15

Judas fala da profecia acerca do juízo do Senhor sobre os falsos mestres e cita o livro pseudo-epígrafe de Enoque. Este era um livro religioso escrito cerca de 300 anos antes de Cristo, mas que nunca foi usado como regra de fé nem para judeus nem para cristãos por entenderem que ele carecia de autoridade divina por possuir coisas em seu conteúdo que entrava em conflito com o resto das Escrituras e por ser de origem obscura.

Porém, o fato de não ter entrado para o Cânon das Escrituras não quer dizer que ele só contenha inverdades. Há coisas belas e verdadeiras neste livro. O fato de o Espírito Santo ter autorizado Judas a colocar esse trecho de livro em sua epístola só prova que tal porção do livro está correta. É como o caso de Paulo citar poetas seculares em suas epístolas e pregações quando estes falavam alguma verdade: "pois nele vivemos, e nos movemos, e existimos, como alguns dos vossos poetas tem dito: Porque dele também somos geração" (Atos 17.28, aqui ele cita o poeta grego Arato), "Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes" (1 Coríntios 15.33, Paulo cita aqui o filósofo grego Menandro), "Foi mesmo, dentre eles, um seu profeta, que disse: Cretenses, sempre mentirosos, feras terríveis, ventres preguiçosos" (Tito 1.12, Paulo cita palavras de Epimênides, considerado como um dos "sete sábios do mundo antigo"). Paulo não estava atribuindo autoridade divina a estes homens e sim apresentando verdades que eles falaram. É isso o que Judas está fazendo também em sua epístola com o livro de Enoque.

A maioria dos livros psedo-epígrafes são oriundos de seitas judaicas. Ao estudá-los, percebemos o porquê, de não fazerem parte do cânon sagrado. São escritos esotéricos, ocultistas, mas que também continham coisas interessantes.

4 comentários

Romão Casals disse...

Tenho dúvidas quanto à sequência cronológica do livro de Enoque.

Tal como na Assunção de Moisés, creio tratar-se de um texto redigido em uma época posterior à epístola de Judas.

Orlando Iannuzzi Filho disse...

Gostaria de indicar a nova edição do Livro de Enoque, a primeira edição crítica em língua portuguesa extraída da obra The Old Testament Pseudepigrapha, publicada pelo Professor James H. Charlesworth, de Princeton, e traduzida do etíope pelo professor Ephraim Isaac, de Harvard. Esta edição tem várias introduções, aparato crítico, notas marginais e uma imensa bibliografia organizada tematicamente.
https://www.facebook.com/livrodeenoque

fábio disse...

muito boa a explicação

Lucio Guedes disse...

Eu gostaria de saber sobre o veículo 06 do livro de Judá que falar das cadeias eterna

Postar um comentário

Deixe um comentário e assim que ele for analisado será publicado.



Related Posts with Thumbnails
 
^

Powered by Bloggerblogger addicted por UsuárioCompulsivo
original Washed Denim por Darren Delaye
Creative Commons License

BlogBlogs.Com.Br